sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Férias em Santana do Jacaré

por Geraldo Hélcio Seoldo Rodrigues



O tamanduá de focinho anuncia que haverá  uma festona  no céu enquanto, do lado,
'urubuservando' tudo, há alguns pássaros pretos.  O sapo se esforça para fazer boca de siri. (Foto montagem)
DE VACACIONIBUS SANTANENSIS


FÉRIAS DOS EASISTAS EM SANTANA DO JACARÉ (ANTES/DURANTE/DEPOIS 1960)


LEMBRANÇAS/ MEMÓRIAS/ SAUDADES/ RECORDAÇÕES FANTASIADAS APÓS MAIS DE 50 ANOS



            Foi mencionado anteriormente em um comentário que o Pe. Humberto, com os braços abertos naquela famosa foto, estava contando uma piada para o Raimundo e o Santana. Segundo informações arrancadas sob tortura, a piada foi a seguinte:

O Tamanduá de Focinho Fino, de cima de um murundu de cupins, rodeado de urubus assessores, anunciou bem ALTO:
--- Atenção bicharada!!! Fui encarregado pelo anjo Carneiro de anunciar o seguinte: vai haver um festão e uma festona no céu durante 3 dias, para todos os bichos da Terra, animais, aves, insetos, anfíbios, etc. Vai haver cinema com o filme KING KONG, muita comida variada (as 3 cozinheiras da EASO estarão lá), bebidas pra valer (inclusive a Germana), doce de goiaba cascão e queijo curadinho, biscoitos de Cristais, e até torresmo com vatapá!!!
Sem esperar um minutinho, o Sapo Boi, que estava entre os veados e outros animais chifrudos, logo abriu a bocona e gritou:
--- OBA!!! Tô lá!!!
Porém, o Tamanduá foi logo esclarecendo:
Jacaré rindo da piada - Foto montagem
--- Há, todavia, um detalhezinho: só pode entrar quem tiver a boca pequena (São Pedro não aceita propina!).
Então o Sapo olhou para um veado, olhou para um outro chifrudo e se encolhendo todo, fazendo um biquinho com a boca, disse baixinho:
--- COITADO DO COMPADRE JACARÉ!!!!

A famosa foto - Foto do acervo do Blog
        Esta foto despertou grande interesse e curiosidade. Parece que foi em 1961. Foram minhas últimas férias naquelas mesmas águas em que flutuou e deslizou o JANGADA, tempos e tempos atrás. Revendo e reexaminando com as melhores técnicas modernas a dita foto, assim vai minha sincera interpretação sem medo nenhum de molhar-me. Quem quiser atirar pedras, pode atirar, estou muito longe!!!!

CENÁRIO:
       
RIO JACARÉ: correndo para baixo, seguindo a boa “Lei da Gravidade”, que tudo atrai e nada repele. Nas margens: parte das matas e dos matos da região sulcando as águas um pouco impuras do Rio e ajudando a limpar os ares das cercanias para os sempre presentes Urubus... Tudo seguindo o ritmo da natureza das coisas, como deve ser. EASISTAS subindo o Rio, fazendo força contra a correnteza (só podem estar correndo de alguma coisa, pois só gostavam de ir rio abaixo, sem gastar energia...).

                        REVISÃO de alguns detalhes da foto:

1 – GERALDO LEMOS -- como que olhando para alguém que está chamando para comer;
2 – SEOLDO -- um pouco fora da linha, meio cambaleando, usando calção pintadinho... parece que sob efeito do vinho que só os maiores podiam beber escondidos;
3 – QUADRADO – reagindo com grande alegria ao chamado para comer... comia muito aquele menino de Leopoldina, mas nunca ficou redondo!!!
4 – PIGMEU – implorando à Virgem Santana – imagem branquinha na árvore – para que o rio sempre continue com maré baixa;
5 – MARCINHO – meio choramingando, também olhando para a Santinha, pedindo que ela nos proteja dos ventos fortes de Cristais e dos vira-latas dos caminhos;
6 – RAIMUNDO NONATO – entusiasmado, com a boca cheia de água, prestando muita atenção na piada do Pe. Humberto;
7 – SANTANIUS – na mesma situação que o Raimundo, porém menos entusiasmado e com a boca mais fechada que aberta; mas no final ele vai ter que rir e dar gargalhadas, senão...
8 – PE. HUMBERTO – contanto a famosa piada, relatada acima, do folclore da região, parecendo Moisés na travessia do Mar Vermelho;
9 – DUAS CABECINHAS – lá atrás aparecem duas cabecinhas: a do CHICÃO e a do ROSALINO (o Benone ficou fora dessa), porém, não sabemos com certeza se ainda tinham corpos... quem quiser mais especulação é bom se informar com o Rosalino, que, embora um pouco enrolão, é de mais confiança que o Chicão; este, depois do “galo” na cabeça, é capaz de dizer que estava nadando no Rio Amazonas, gravando o ruído da Pororoca! (Esse “galo” se explica mais adiante).


Parece que Raimundo e Santana riram muito, ou porque gostaram mesmo da piada ou para evitarem as cotoveladas e coices costumeiros. Pe. Humberto, além de piadeiro, foi um entusiasmado professor de matemática, embora um pouco impaciente com os "tapados"... Ficava vermelhão e gaguejava a ponto de fazer espumas nos cantos da boca! Ele também chegou a escrever uns livrinhos para catecismo e sobre outros assuntos de fé (ver uma crônica do Santana neste Blog sobre o assunto). Gostava de andar depressa sem balançar os braços... Nadava bem. Chegou a desafiar o Benone para uma competição de natação lá na Praça de Esportes em Campo Belo. Não deu certo porque os dois concordaram que a piscina era bem pequena... Disseram que era muito mais larga que comprida, e, além disso, não tinha curvas. Pe. Humberto era um padre alegre e gostava de cantar o "TANTUM ERGO" quando estava sozinho.

Durante estas mesmas férias da foto ganhamos uma partida de futebol contra o time local com o placar de 2 X 1. O segundo gol nosso foi meu, batendo uma falta de longe... A bola passou raspando por cima da barreira, subiu, e, de repente, fez uma curvona esquisita  e foi entrar lá no ângulo esquerdo do goleiro, que era o campeão da brincadeira "tico-tico fuzilado" muito popular em Santana do Jacaré. Deixando a modéstia de lado, batizei aquele tipo de chute com o nome de "anaconda santanense". Pois bem, como a ocasião desse jogo foi justamente no famoso tradicional "Dia do Coelho", depois da churrascada, Pe. Humberto nos presenteou com a ida ao cineminha local para assistir ao aterrorizante filme KING KONG. Ele e os demais (Raimundo Nonato, Santana, Rosalino, Chicão e Geraldo Lemos, como não podia deixar de ser), foram logo sentando na fileira da frente, um pouco longe da porta de entrada. As coisas já iam mais ou menos, pois era um filme de horror com aquele gorilão bundudo... Alguns, de vez em quando fechavam os olhos, outros tremiam um pouquinho, outros olhavam para baixo... Os meninos de Senhora de Oliveira fizeram um "montinho" para proteção. Então, justamente na cena em que o descomunal, diabólico e afrodisíaco KING KONG estava para pegar a mocinha pela cintura com sua mãozona boba, houve um surto extra da corrente elétrica, o qual duplicou tanto a velocidade do projetor que a fita arrebentou e foi aquela barulhada de catraca saindo faíscas para todos os lados no escuro, dando a impressão de ser o bocão da Besta do Apocalipse. Pe. Humberto, que tinha nas veias um pouco de sangue de coelho de páscoa, deu uma arrancada de uma vez só fazendo ainda mais estalos e estragos... Só ele quebrou umas 3 cadeiras... Raimundo, Santana, Rosalino e Chicão quebraram o resto da fileira da frente... Geraldo Lemos apareceu lá fora agarrado no escapulário do Pe. Humberto. Este sorria enquanto checava a cabeça de cada um para ver se tinha algum "galo" (mencionado pelo Bessa). Realmente, o único que ganhou um "galo" foi o Chicão, pois daí para cá ficou meio biruta dizendo que Jesus Cristo tinha nascido em Belém do Pará, e que ele mesmo ia fazer uma jangada para voltar para o Norte, para seu El Dorado do Amazonas... E que um bolso vazio era melhor que um bolso cheio de nada... Pe. Humberto benzeu-o e fez umas rezas fortes... Parece que ele melhorou um pouquinho, pois agora diz que um bolso cheio de vento é melhor que um bolso cheio de sombra.

Foto montagem
Pe. Humberto sabia bastante da história de Santana do Jacaré (antes chamada de Matas do Jacaré, Mato do Jacaré, Mato do Jacaré de Tamanduá,  Sant'Ana do Jacaré...). Ele andou explicando para a turma que o portuga Manoel Ferreira Carneiro (deve ser ancestral/antepassado do Easista Santana) era um vendedor ambulante que só andava de jangada (dai seu apelido, JANGADA) no RJ (Rio Jacaré, não Rio de Janeiro) vendendo mercadorias e bagulhos, e, às vezes, alguma peça rara, como foi o caso da famosa jaqueta de couro folheada a ouro vinda de São João del-Rei. Um cara ficou louco pela jaqueta, mas como não tinha dinheiro suficiente, trocou pela jaqueta todas as terras onde é hoje Santana do Jacaré. Por sinal, aquele bonezinho que Santana aparece usando em algumas fotos é uma relíquia da família dos tempos do JANGADA. Tudo isso Pe. Humberto contava... Ainda mencionou que em Santana do Jacaré, no inicio e um pouco depois, havia duas capelas/igrejas: a de Santana, para os brancos e ricos, e a do Rosário, para os pobres e a morenada... Só a do Rosário aguentou até hoje (será que rezavam mais forte?). Finalmente, Pe. Humberto mencionou que Santana do Jacaré foi o primeiro lugar em Minas onde começou o tipo de Cemitério Secular.

Aí vai, como sugestão, um EPITÁFIO para o nosso Pe, Humberto Nienhuis: Descanso Eterno!!!)

Ensinei: o quadrado de dois é quatro
A raiz quadrada de quatro é dois
Ergui a bandeira de Cristo no mastro
Fiz as contas antes, e não depois.

Em conclusão: nossas férias em Santana do Jacaré eram divertidas... Estavam sempre nas nossas cabeças (com ou sem galos). Fomos sempre bem recebidos e tratados pelo povo local. Procurávamos, também, sempre usar nossas roupas mais novas, sapatos bem engraxadinhos para impressionar bem. (O Marquinhos era o melhor exemplo). Andávamos todos certinhos, dois a dois pelas ruazinhas da cidade. Passavam tão rápidas!! Tomando emprestado o comentário do compadre safado coelho que disse para a coelhinha de orelhas em pé: V A I   S E R   T Â O   B O M...   N  Ã O    F O I ?!!!

Foi feita a Enquete para ver a opinião de cada um acerca da ida a Santana do Jacaré por ocasião do próximo encontro. Parece que 21 votaram... Isso prova que alguns outros escaparam do ataque dos crocodilos. Faltou, todavia, anunciar as OPÇÕES/ALTERNATIVAS DOS MEIOS DE TRANSPORTE DE CAMPO BELO A SANTANA DO JACARÉ. Como o editor está colhendo café, resolvi, por conta própria, fazer o anúncio sem nenhuma ilusão ou interesse pessoal. Aí estão as 14 opções:

1 – CAMINHANDO A PÉ como antigamente, levando os sapatos e um porrete (para se defender de cachorros, etc.) nas mãos --- mais ou menos como fez o Marquinhos no Caminho de Santiago, na Espanha. É permitido parar de vez em quando e ir atrás das moitas. Duração: depende... Talvez uns 3 dias, sem levar cachorrinho de estimação. De noite há muita sombra para dormir. Consolo: a banda do BLOCO DO UAI estará esperando no começo da ponte.

2 – TIPO MARATONA, mas sem acompanhamento de assistência médica. Duração: depende... Se chegar vivo, talvez também uns 3 dias. Consolo: a turma do Congado estará esperando no fim da ponte.

3 – DE CARROÇA DE BURRA/MULA usando “orelheiras” para não ficar mirando de lado para aqueles maliciosos jumentos pastando e piscando na beira da estrada. Duração: se não houver nenhuma enrolada dos animais, com certeza uns 3 dias.

4 – DE CARRO DE BOI com seis juntas... carreiro e candeeiro profissionais...eixo, cocões, chumaços de peroba para ir chiando um lamentoso afinadinho. Duração: mais ou menos 3 dias, parando para as refeições e sestas.

5 – DE CHARRETE DE LUXO puxada por égua nova, com buzina de trombeta e amortecedores feitos de lã de carneiro. Duração: talvez 1 ½ dia, se a égua não estiver “naquela fase”.

6 – A CAVALO, tipo tropeiros que iam tomar banho no Rio Jacaré. Obs. : não é permitido levar sua Easista na garupa. Duração: 1 dia, se sair logo depois da meia noite e sem parar para nada. Consolo: os membros da cavalhada vão fazer uma recepção surpresa antes da chegada.

7 – DE BICICLETA sem motor e sem farol, mas com campainha de dedo. Talvez seja preciso descer para empurrar. Duração: mais ou menos 1 dia, se sair assim que o dia clarear... Rezar para não furar o pneu.

8 – DE TAXI, a frota do Baliza está à disposição... Só tem que limpar os pés e não bater a porta com força... Cabem 5, com o motorista. Duração: ½ dia, se não precisar empurrar nas subidas e segurar nas descidas, e sem parar para “ir no mato”.

9 – DE JARDINEIRA tipo Lua Cheia do Divino. Pode-se cantar, chorar, gritar, espernear... Só não pode encher o saco do motorista. Duração: ½ dia, se as marchas engatarem direitinho. Consolo: um trago da Germana.

10 -- METADE JARDINEIRA – METADADE JANGADA: ir pela Rodovia 354 (em direção a Cana Verde) até o Rio Jacaré. Daí, rio acima, de jangada feita de toras de mulungu e de pau de sabão. Duração: 2 horas de Jardineira e, quem sabe, uns 2 dias de jangada, por ser rio acima, contra o vento e a Lei da Gravidade. Não precisa usar boias, pois os passageiros serão amarrados nos paus para não desequilibrar o jangadeiro. Proibido pescar. Pode-se, porém, cuspir no rio todas as vezes que se desejar.

11 – TRANSPORTE AÉREO em couro curtido carregado por urubus treinados. Combinar com antecedência. Não há seguro de vida. Opção mais perigosa, mas muito cênica e cheia de surpresas. Duração: depende do dia. Não comer nada 3 dias antes para estar mais leve. Estar com seu espírito em dia, limpinho.

12 -- TRANSPOSIÇÃO BILOCAL – expressão meio metafísica. O Espírito vai sozinho tomando ar fresco e evitando a poeirada; o corpo fica em Campo Belo, acomodado, sem fazer nada. Duração: uma piscada de olho.

A exemplo do tamanduá, o autor se aconselha
com os corvos (quem não tem urubu ouve os 
corvos) e se inspira na sabedoria da coruja. 
13 -- TIPO VIRTUAL – transformando-se naqueles bonecos alegóricos, sem graça, chamados AVATARES... Mas não pensem que vão ficar jovens outra vez! Duração: um piscar de olho maldoso.

14 -- POR COMPUTADOR – usando o Google Earth pela internet, sem suar, sem gastar e sem mesmo precisar usar roupa... Talvez seja preciso colocar e retirar os óculos.


Boa Sorte com a escolha. Meditem bem, mas não deixem a barba crescer... TEMPUS FUGIT, CARPE DIEM, disse aquela mesma coelhinha de orelha em pé toda assanhada outra vez para o coelhão, já um pouco desanimado, desorientado e, enfim, esgotado.  Que todos façam/tenham uma boa visita a esta tão orgulhosa cidadezinha que muito marcou os Easistas!

“ SANTANA DO JACARE MEMORANDA EST “




15 comentários:

  1. Seoldo, com sua criatividade e veia cômica, sempre surpreendendo e fazendo-nos dar gostosas gargalhadas!
    Pena que não o teremos nem a sua simpática esposa, Judith, neste próximo encontro.
    Parabéns pela excelente crônica!
    Um abraço,
    Santana

    ResponderExcluir
  2. Com este conto, o Seoldo quase superou o Padre Humberto, só faltou as cotoveladas ( o coice ). Mas valeu,valeu muito divertiu abeça aqui o veiu...Como diz o Benone : Grande Seoldo..
    Abraços.
    Nonato

    ResponderExcluir
  3. Caro Santana,
    Sem voce nao existiria ....... do Jacare! Afinal, como foi a festona no ceu? Muita comida boa mesmo? Tive uma visao em que voce aparecia como o novo prefeito de Santana do Jacare e que a primeira coisa que apresentou foi um projeto de uma VIA FERREA entre la e Campo Belo, alias o unico meio de transporte que falta!!! A parte mais gozada veio do nosso trabalhador editor Luis H. Alfenas (Easista Caeira) nas montagens da fotos. Como esta feliz o J A C A R E! ! ! Abracos do Colega Seoldo.

    Tambem Caro Colega Raimundo,
    Voce tambem nao perde uma! Tem um olho muito bom!!! Como voce ve, este deserto aqui faz a imaginacao funcionar e quando se fala em Santana do Jacare, ai as coisas se multiplicam. Se voce tiver alguma foto de la, vamos interpreta-la direitinho, certo?! Abracos e continue ativo. Seoldo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Seoldo,

      No céu, ainda não sei como foi a festa, mas, em Santana do Jacaré no V Encontro, que vai ter muita comida boa, ah ... isso vai. Acho até, que compensaria você mudar os planos e vir cá matar as saudades, também.

      Quanto a ser prefeito ... isso é difícil. Aquele bom povo (ih! ... sua mosca azul já me picou!) quase nem me conhece.
      Bem que a VIA FÉRREA faria um sucesso danado por lá.

      Realmente o Lulu fez uma edição supimpa que realçou ainda mais a sua crônica. Imitando o Nonato, "como diz o Benone": ... o menino tem futuro.

      Abraços,

      Santana

      Excluir
  4. Tupy (via e-mail)3 de agosto de 2013 07:37

    Estou não só "urubuservando", mas já "aguiando" em altos voôs para participar do V Encontro com todas as suas programações.
    A veia prosaica e afiada do Seoldo continua solta. A idade não lhe tolhe os fatos e acontecimentos do passado que, por certo, só nos fazem relembrar e reviver "os bons tempos".
    Tupy - Sabará - 03/08 - 06h37min.

    ResponderExcluir
  5. Colega/Irmao Tupy,

    Antes, um lembrete: A EASO ESTA/ESTARIA FAZENDO 60 ANOS!!! (1953 - 2013). Acho que podemos nomea-lo o nosso "representante" tanto aqui na Terra como no Ceu. Voce continua firme na sua fe e conviccao... ajudando aqui e ali, abracando a todos... voce e o pai/padre, o avo/bispo, etc... Dou gracas a Deus que voce tambem foi um que conseguiu se escapar la de Santana do Jacare! Como voce leu acima, o Easista Santana vai mandar matar um boi e vai ter churrasco a bec(ss)a!
    Que tal um passeio a Cristais depois de Santana do Jacare?!!! Abracos Seoldo.

    ResponderExcluir
  6. Caro Seoldo,
    A sua sugestão do passeio a Cristais tem todo o meu apoio. Esta sua sugestão me pareceu, assim, nas entre linhas que você virá ao nosso encontro, nos surpreendendo. Será que estou certo? Esperamos que sim, mas se eu não estiver certo, faça por onde nos surpreender, venha você e a nossa caríssima Judite,serão sempre bem vindos. Na nossa idade não adianta estar ajuntando e guardando tanto dinheiro,nunca sabemos o que pode acontecer amanhã,portanto não deixe para depois o que pode fazer agora, venha ao nosso encontro, comer aquele feijão tropeiro e o tutu reforçado que o Santana vai mandar fazer e depois ir comer aqueles biscoitos de polvilho com café la na casa do José Aureliano, la em Cristais.
    Abraços . Nonato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raimundo,voce e um tentador mesmo!!! E por isso que o Pe. Humberto lhe tirava casquinha com seus coices...Sem duvida, estarei sobre Cristais tambem pelo Google Earth quando sair de Santana do Jacare. Por falar em Cristais, acho que o Azara me contou uma vez que aquela "ESTRELA BRILHONA", que os Reis Magos seguiram, saiu la dos morros de Cristais... mas isso e outra historia que aparecera no futuro (aviso aos biscoiteiros: sua vez vai chegar!!). Ha tempos que nao como biscoitos de polvilho!!! Abracos! Seoldo

      Excluir
  7. Concordo com o Santana. O Seoldo e a Judy bem que poderiam mudar de planos e aparecer de surpresa no próximo Encontro. Quanto a crônica, simplesmente DEMAIS. Fiquei rindo sozinho, igual a um maluco. Aquela "doidera" que deu no Chicão de achar de Jesus Cristo nasceu em Belém do Pará.....! Putz !!!.
    Quanto as opções para a viagem a Santana do Jacaré, fico com a TRANSPOSIÇÃO BILOCAL !!! Grande Seoldo-Abraços - Benone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega Benone,
      O riso faz bem! A EASO e uma fonte muita rica de humor... Porem nao devemos esquecer de que herdamos muita coisa boa dela...exemplo: a amizade dos velhos Easistas e muito contagiante; como mencionei uma vez: "nao podemos resolver os problemas de cada um; mas, sim, podemos abracar aqueles com problemas... Continue sorrinto feliz!!! Abracos, Seoldo.

      Excluir
  8. Olá Seoldo ! O Raimundo tem razão. Pare de ficar guardando dólares no colchão. Aliás, a moeda está muito valorizada por aqui. Vale R$2,30. Voltando à Crônica: foi grande ! Se você resolvesse escrever para a televisão, com certeza iria se dar bem. A propósito; já bebeu aquela Germana que você comprou?
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Só hoje, depois de ter ficado uns bons tempos sem internet, estou lendo e me divertindo com essa crônica seoldiana. Devo reconhecer que, opção A, ou o Seoldo tem uma memória de elefante ou, B, uma imaginação prodigiosa, ao estilo do Barão de Munchausen. O curioso é que, em 1961 (provável época da foto que inspirou o cronista), eu ainda estava na EASO (foi meu último ano lá) e não me lembro destas férias em Santana do Jacaré. Aliás, é absolutamente certo que não estive na terra do Santana naquele mês de julho, pois foi quando fiz em BH um Curso de Iniciação Cinematográfica, por recomendação do Padre Humberto, que me abriu novos caminhos, em termos culturais. Mas me lembro de outras férias de julho por lá, sempre muito bem aproveitadas por nós. Numa delas, não sei bem o ano, o que mais me marcou foram as sessões de hipnose comandadas pelo Padre João. Parabéns ao Seoldo e aos comentaristas que deixaram seu recado aqui, todos muito divertidos. Abraços, MR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está certo, Marcos Rocha.

      O Seoldo contou uma estória a la Barão de Munchausen.

      Ele fez uma mistura de datas e personagens, como por exemplo, eu e Geraldo Lemos ainda não estávamos no seminário, por ocasião do incidente no cinema, nas férias de julho em Santana do Jacaré, também relatado pelo Bessa. Nem o Pe. Humberto era o reitor do seminário nessa época (1958/1959), que, então, era o Pe Marino. No ano da foto do rio (1961), sim, o reitor já era o Pe. Humberto e não houve férias de julho em SJ.

      Todavia essas divergências ficam por conta da criatividade, esta sim extraordinária do autor. Como ele mesmo disse no subtítulo, a crônica trata de LEMBRANÇAS// MEMÓRIAS// SAUDADES// RECORDAÇÕES FANTASIADAS APÓS MAIS DE 50 ANOS (antes/durante/depois de 1960). Então, nesse caso, podemos dar um crédito ao Seoldo por sua engraçada ficção/realidade.
      Abraços, Santana

      Excluir
  10. Meu amigo Santana: mas é claro, óbvio e ululante, que é tudo verdade. O Seoldo é um sujeito sério. Não iria fantasiar por ai. Quem se lembra do "Samba do Crioulo Doido" ? Será que tem alguma coisa a ver ?
    Abraços - Benone

    ResponderExcluir
  11. Caro Benone,

    Todavia o samba dele tem enredo. A criação do povoado do Mato do Jacaré do Tamanduá tem fundamento. Segundo a tradição oral o personagem Jangada com sua jaqueta de couro realmente existiu e andou por aquelas bandas. O experto Seoldo deve ter buscado esse histórico na internet (http://www.santanadojacare.mg.gov.br/index.php/a-cidade). Mas você tem razão ... que parece o "Samba do Crioulo Doido" ... isso parece.

    Abraços,

    Santana

    ResponderExcluir