quarta-feira, 5 de novembro de 2014

P O S T - S C R I P T U M


VI ENCONTRO DA EASO
BELÉM DO PARÁ
DE 19 A 26 DE SETEMBRO DE 2014



NOTAS/SUGESTÕES/BOATOS/FOFOCAS
INTRIGAS/CURIOSIDADES
(LIVRES DE PRESSÕES EXTERNAS)

Por Seoldo



   
A presença no I Encontro.
Sentimos falta dos seguintes Easistas que já participaram de Encontros anteriores: Zé Maria de C. Coelho, Azara, João Henrique, Zé Aureliano, Janjão, Eustáquio, Baliza, Delduque, Artur, Dirceu, Chiquinho, Gabriel, Ildeu, Macabeu, Nicodemos, Tito, Jorge Oliveira, Max, Ney, Olímpio, Raimundo Célio, Tião Rocha, Zé Maria Fontes, Quadrado (Leopoldina), Adrianus(?) e também faltou a presença de um representante da Ordem da Santa Cruz. Houve um pequeno movimento para jogar todos ‘na cova do leão’ junto com Daniel... mas houve bom senso da maioria em considerá-los como ‘convidados às Bodas de Canaã’.

    Foi relembrada, com respeito, a “travessia para o outro lado do caminho” do ativo Easista Marquinhos, que nos disse adeus no dia 14 de maio do corrente. Liana, sua esposa, sempre nos informava da situação dele... Resistiu heroicamente até o fim à fulminante doença ELA. Que descanse em paz, Grande Amigo Easista!!!

                            CORNÉLIO VAN VROONHOVEN
                           PADRE AGOSTINHO RIJKEN (em 2009)
                           PADRE GUILHERME VAN DE LOKKANT
[U1] 

    Um fato que já ia passando despercebido foi que este redator teve a sorte de ganhar uma deslumbrante rede num sorteio promovido pelo casal Raimundo/Nazaré dentro do ônibus da Valeverde. Em agradecimento o premiado garantiu que um dia no futuro encherá a rede com dólares de prata, pois vem jogando fielmente o mesmo conjunto de números nos últimos 23 anos!!! Estatisticamente há chances (1 em 175 milhões)... Só não se sabe se há tempo suficiente pela frente...

   
Momento da reunião, com correrias e confusões citadas
pelo autor (rsr) 
A reunião para marcar o(s) próximo(s) Encontro(s) deveria, talvez, ser feita no segundo dia... Evitaria assim aquela agonia/correria/confusão/indecisão quando tal  assunto é colocado em discussão. Além do mais, no último dia alguns Easistas já voltaram para casa e, acima de tudo, todos querem relaxar... Nada de coisas muito sérias!!! Não esquecendo que, de agora em diante, as esposas dos Easistas e os convidados serão livres para participarem da discussão. Vamos adequar/acomodar/modernizar as coisas!

    Na próxima vez em que o Encontro for em Belém – II ENCONTRO EM BELÉM – iremos todos, sem dúvida, visitar as paróquias que foram dos crúzios, bem como o túmulo no cemitério onde descansam os restos mortais de 7 padres crúzios. Fará bem para o espirito! Além disso, Marajó, Salinas, e mesmo Macapá serão possibilidades... (Se quiserem podemos ir para o outro lado: Manaus!). Por que não o VIII Encontro, enquanto podemos ainda caminhar e também nadar um pouquinho aproveitando a maré baixa? QUEREMOS PO – RO – RO – CA, RAFAEL!!!

    Houve uma informação de alguém que estava por dentro que Raimundo está seriamente pensando em abrir um negócio de engarrafar e vender a água limpinha do igarapé que nasce no seu Sítio/Fazenda Espírito Santo. Até nome já tem: I G A R A P I N G A!!! Será frustração por não ter podido fabricar a Germana? Ele está até em contato com especialistas dos corpos de bombeiros de toda a Amazônia tentando convencê-los de que é a melhor água para apagar incêndios nas matas daquelas bandas. Que as brisas frescas soprem nas costas do nosso amigo Raimundo!

  
Tagarelas e pecadores em raro momento de silêncio
  Havia também uma conversa de que o casal Raimundo/Nazaré tentara encaixar no programa um pequeno retiro espiritual duplo lá no Sítio/Fazenda Espírito Santo: um para o grupo de Easistas ‘pecadores’, e um outro para o grupo de Easistas mais ‘tagarelas’. Foi inviável, pois todos os presentes se encaixaram nos dois grupos. Isso é algo um pouco sério que necessita reflexão, sobretudo depois de ouvir a teoria do Tião Coelho: ‘Pensamentos maus fazem bem para a saúde na terceira idade’.

   
Medina - quem carrega sabe o peso que pega 
Rosalino, Lua, Benone e Medina foram os que mais valorizaram as artes locais de Belém. Todos saíram com os sacos cheios!!! Negociantes?!!! Suas mesas com dinheiro dracmas vão ser viradas de cabeça para baixo como aconteceu no Templo, o que deixou os bolsos de Judas Iscariotes cheios e até pôde comprar um vinhozinho mais caro!

    AÇAÌ/ASSAÍ – produto que muito ajuda na economia do Pará... foi uma palavra muitas vezes usada pelo guia Guilherme, em um só dia usou-a 78 vezes!!! E foram bem contadas e registradas. Oxalá ele não seja castigado por uma manga invejosa caindo na sua cabeça!!!

    Muitos Easistas ficaram encabulados com esse redator que andava dizendo que seu cérebro não seguia/obedecia suas pernas, donde um certo desequilíbrio e até necessidade de uma bengala... Uns mais curiosos – sempre há um e outro mentiroso – queriam saber como ele conseguia caminhar tão bem/firme no meio de tantas panelas cheirosas nos restaurantes ‘self-serve’ em que estivemos em Belém?!!! Mistério não se explica!!! Para ele tudo é questão de mirar o alvo e acertar a pontaria. Era o campeão de ‘atiradeira’ nas redondezas quando menino/jovem...

    Comentaram lá nas mesas da Praia Grande do Outeiro que o problema de claustrofobia do Craque Alfredo vem de muito tempo atrás...  de quando ele ficou acidentalmente preso, sozinho à noite, em uma das privadas da EASO que ficava do lado de fora. Então a energia faltou e tudo ficou escuro! (Infelizmente o Zé Geraldo Assunção, que é especialista em eletricidade, não estava presente). Alfredo saiu de lá e continua até hoje com os olhos arregalados, pois, tanto naqueles tempos, como ainda agora, no presente, ainda acredita em assombrações, saci-pererê e em mulas sem cabeça... é por isso também que sabe/sabia correr nos campos quando está/estava jogando bola... pensa/pensava que o Zé Geraldo Freitas é/era um ‘lobisomem’. Alfredo irá gostar quando um dos Encontros for escalado para Juiz de Fora. Não precisará entrar em táxi superlotado!!!

  
Mundão de água doce ao lado de Belém do Pará
  Raciocínio do Toinzé/Santana na Praça de Lavras: ‘Se o Rio Amazonas se chamasse “Rio Jacaré”, o atual Rio Jacaré deveria se chamar “Rio Piolho Anão de Jacaré”’, sempre guardadas as devidas proporções. Só para ficar esclarecido: na Praça de Lavras não tem ‘Banco de Cornos’, mas, sim, coretos cheios de flores cheirosas...  Com tudo isso e mais, Santana estava muito feliz com a chegada de mais um neto. Também estava muito conformado depois de averiguar que os Rios Amazonas e Jacaré tinham algo em comum: ÁGUA DOCE!!! (Exceto nas primeiras 3 dúzias de ondas nas beiradas das praias!!!).

   
Benone, caladão e contrito.
Foi deveras notado que o grande Easista nadador Benone não entrou na água nenhum dia... Medo do ‘caldo’ prometido? O menino de sapato desgastado, como bem notou Pe. Marino, estava muito desconfiado e um pouco caladão – exceto na reunião final. Parece que alguém o aconselhou a trazer sua ‘cara metade’ na próxima vez. Foi aí que ele deu um meio sorriso...

    Há uma corrente moralista entre os Easistas, pré Papa Francisco, que procura com humildade aconselhar certos Easistas Filhos Pródigos a que não usem calção de banho tão/muito apertadinho/curto... Evitariam assim deixar à mostra os barrigões/umbigões, aliás, ‘barrigas grandes’, na linguagem profética do Bessa. Exceções: Raimundo e Zé Geraldo Assunção.

 
Toinzé e Maria, sua irmã, planejam mudanças no Rio Jacaré
   Toinzé/Santana, após visitar o Museu Goeldi, está pensando, com as assessorias de Rosalino e Lulu, em introduzir a Vitória Régia em uma das partes mansas do Rio Jacaré... tanto para aumentar o turismo, como para proteger debaixo d'água a fauninha do rio... Ele pensa, se for o caso, poder usar os urubus desempregados da redondeza para dar uma esticadinha nas folhas, de vez em quando as virando de cabeça para baixo para servirem de armadilhas... Dando ou não resultados, o teimoso Lulu já disse que vai tentar depois lá no Sitio ½ Dúzia, pois lá a ‘força de gravidade’ é maior/melhor. Entretanto, o pensamento de Santana é ainda usar aquelas folhonas como meio de transporte, como uma jangada redondinha...(O tempora O mores).

   
Chicão e Benedita no Outeiro
Agora ficamos sabendo de que o Easista Chicão só foi para o seminário da EASO em Minas por que ouviu dizer que seu conterrâneo, o Prof. Ibiapina, estava lá ensinando português no Dom Cabral. Chicão disse: “aonde aquele cabra da peste for, eu também irei”, já se despedindo de todos. É bom saber/confirmar que Chicão é cearense ‘cagado e cuspido’.  -”Valei-me, meu padi, Padim Cilco” como dizia a nossa babá em Alagoas.

    Ficou comprovado que Rosalino só está fingindo quando usa sua filmadora. Na verdade, ele usa o tempo ou para tirar uma soneca ou para sonhar com os ‘tempos bons’ do seminário onde fazia ‘coisas’ que ainda agora deixam certos Easistas avermelhados...

   
Siovani e Rosimere em Sirituba
Alguns mais entendidos em ‘campos magnéticos’ afirmaram que o Easista Siovani, apesar de ser caladinho, abria a boca/bocejava com muita frequência porque era influenciado tremendamente pela Linha do Equador... ora a parte de cima da boca estava no Hemisfério Norte enquanto a parte de baixo estava no Hemisfério Sul. Notou-se que Rosimere constantemente lhe dava castanhas do Pará para que ele seguisse mastigando, mantendo assim o equilíbrio das duas forças (um ovo fica em pé na Linha do Equador). Na realidade, ela passa por ali perto...

    Três mineiros brincalhões sugeriram os locais/lugares em Minas para os próximos Encontros:
TRÊS MARIAS
TRÊS CORAÇÕES
TRÊS PONTAS
TRÊS CRUZES

    
O Toinzé/Santana ficou muito bem na foto com sua irmã Maria tirada lá no Museu Goeldi, perto daquela enorme figueira parecendo ‘orelhas de elefante’. Seus pensamentos, porém, estavam voltados para seu eterno sonho de construir uma jangada com estilo diferente. Parece que finalmente encontrou sua árvore preferida. A jangada de seus sonhos deve funcionar com a metade da frente empinada acima das águas enquanto a metade de trás, por sua vez, abaixo das águas. Inclusive ele já tentou o contrário, mas não deu certo devido à ‘força de contra-ação’. Porém ele deixou alguns saberem que ouviu lá em Belém a respeito do princípio da força do MOTO PERPÉTUO proveniente da Pororoca. Conselho ao jangadeiro: se dessa vez também não der certo, é só acrescentar a letra 'R' na palavra ‘moto’ e terá: MORTO PERPÉTUO!!!

    A Dita falou, sem papas na língua, que não deixa mais o Chicão ir sozinho para a Praia Grande do Outeiro porque todas as vezes que faz isso ele pega ‘mau olhado’ e também ‘quebranto’... e, além do mais, sua fala sempre fica um pouco ‘amineirada’...

    Chicão afirmou categoricamente que adubou aquela touceirona/moitona de bambu lá na casa da praia com um tipo de adubo mineiro, específico para fazer as plantas darem mais sombras moreninhas.

    Aquele portonzão lá da casa do Raimundo, herdado pela família de Nazaré, veio de Portugal, de um castelo da Idade Média que nem os mouros conseguiram quebrar para entrar, nem os portugueses conseguiram abrir para sair...

    O ‘menor’ Lulu deixou de ir à Praia Grande somente para checar/confirmar se havia mesmo no Jardim Botânico ou no Museu Goeldi um MULUNGU maior e mais galhado que o seu lá do Sítio ½ Dúzia....

Rosalino e Santana
   
Judith, Rosimere e Siovani em Sedona
Foto de Santana e Rosalino (fundo com pedronas vermelhonas) no Museu Goeldi. Parece que os dois artistas/Easistas estão passeando em Arizona, na região de SEDONA. (Entrar na internet e clicar em imagens/fotos). Por lá dizem que “Deus criou o Grand Canyon, mas vive em Sedona”. Uma região muito pitoresca e de caráter turístico. 
 Mas olhando/analisando bem a foto em pauta, parece que Rosalino não está gostando da mão do Santana no ombro dele... Rosalino é muito arisco... sobretudo quando está passeando numa região da era dos dinossauros, quais precedem os jacarés/crocodilos na teoria da evolução.

    Sabedoria do Tião Coelho:
SUCESSO DEPOIS DOS 68 ANOS
É TER AMIGOS ATIVOS E SORRIDENTES
E
NÃO TER MAIS MAUS PENSAMENTOS.

    Os Easistas de Belém estão oferecendo uma sobremesa de açai/assaí para quem descobrir quem citou esta frase nos fins da década de 50:
S T A T   C R U X   D U M   V O L V I T U R   O R B I S


                                     ----------------------------------------------------

VERDADE FINAL
  
    Ficou bem guardada na memória a frase que o Easista Tupi, sorrindo, enquanto estávamos dando aquelas voltas pelas “Ilhas e Trilhas”, chegando perto e mostrando as beiradas das ilhas, disse com o maior orgulho: ‘OLHA, SEOLDO, MEU PAI TRABALHAVA POR AQUI’. Então, agora, com todo respeito, passo a pena ao Tupi para que ele escreva sobre seu pai (e também sua mãe) vivendo naquela área. Paz para todos! Abraços para todos! (Podem jogar/atirar pedras... estou bem longe!!!)


Geraldo H. Seoldo Rodrigues
Easista

P.S.: Judite e eu, de coração, queremos agradecer a todos pela companhia. Foi, sem dúvida, um Encontro gratificante! Valeram a pena os gastos e os contratempos da viagem. Agradecemos aos paraenses hospedeiros e também a Lulu/Maria José que nos acolheram sempre corteses em sua casa. Não querendo competir com o Tião Coelho, diria que ‘Sucesso depois dos 70 anos é ter amigos ainda bons motoristas e poder também subir escadas’!!! Outra vez, abraços sinceros para todos... e até MORRETES!!! (= morros só com descidas + porretes para escorar).Obrigado, outra vez pelo trabalho. Seoldo.    Queremos também agradecer o saboroso almoço na casa de Siovani, preparado por Rosimere sempre distraída pelo inteligente neto, Marquinho. Valeu o arroz com quiabo e angu!!! Por fim, não nos esquecemos do famoso 'arroz doce' da Marina/Tupi. Essas receitas , somadas, com as inúmeras de Maria José, "MEMORANDAE SUNT





11 comentários:

  1. Um pequeno ajuste nos comentários do nosso grande escritor Seoldo: o grande comprador de cerâmica não foi o Rosalino e sim o Siovani, que por ser muito pequeno ainda e não aguentar carregar a peça que comprou, pra mais de metro de altura, mandou entregar em sua casa em BH. Uma peça muito bonita. Parabéns Siovani e Rose pelo bom gosto ! Quanto a mim, vou fazer um curso intensivo de natação que é pra não fazer feio e não arranhar o prestígio de nadador duramente conquistado e vou desafiar os grandes nadadores da EASO para atravessar um daqueles rios. Abraços - Benone

    ResponderExcluir
  2. Estou preocupado sobre a localização do próximo Encontro: o Lua, que sugeriu Morretes e disse que tem um parente/amigo que tem uma Pousada na cidade, não nos deu o prazer de se manifestar sobre o tema para tirar as dúvidas e o Rafael que coordenou o processo de escolha também não se manifestou. Estamos aguardando ! Abraços - Benone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Benone, meu caro, caso não se confirme Morretes, temos bastante tempo para escolher um bom local. É como disse o filósofo da delação premiada, não importa o local, o que interessa mesmo é o papo em torno da mesa.

      Excluir
    2. Claro Lulu, O TEIMOSO, temos, ainda bastante tempo ! O papo em torno da mesa é, sim, muito importante. Mas o local ajuda este papo ficar muito mais agradável ! Abraços - Benone

      Excluir
    3. Lulu Caieira ! Tô achando estranho a ausência da maioria do pessoal no site. Houve uma alteração na forma de enviar e-mails. Será este o problema ? Se for, talvez seja oportuno você dar aquela aula pro pessoal. Abraços - Benone

      Excluir
    4. Benone, torno público o que lhe disse por e-mail: tenho enviado e-mails com as chamadas para as novidades no Blog. Esta postagem, por exemplo, já foi vista 68 vezes. A grande maioria apenas vê e não comenta. Já disse por e-mail e repito aqui, aquele que não souber postar um comentário diretamente no Blog, se quiser, pode fazê-lo através de envio de e-mail e nós publicamos. Acontece que as pessoas têm motivações diferentes: algumas apenas acessam, leem os pontos principais da postagem e não querem ou não gostam de comentar, fazer o quê? abraço do Caieira.

      Excluir
  3. Caros amigos :
    Embora em Belém, no último dia, durante ao belo jantar na Casa do Nonato, termos feito a votação para escolha do local do nosso próximo Encontro. Foi até democrático, com votação, etc. Creio que temos o direito de alterar o local. Ficou decidido Morretes, cidade localizada entre Curitiba e Paranaguá. Desde que, desde que após consulta ao pessoal, a maioria decida por outro local. Temos bastante tempo para decidirmos.
    Obs,: parece que agora aprendi a entrar nesta página, para comentar as notícia. Vamos ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vindo Rafael ! Tardou mas não faltou ! De fato, escolheu-se Morretes, mas nada impede que possamos alterar. Bonito é uma grande opção. Ponto turístico reconhecido nacionalmente.Estamos sentido falta de alguns amigos que normalmente se manifestam no nosso blog. Cadê o Edgard, o Tupy, entre outros ? Abraços - Benone

      Excluir
  4. E-mail recebido de José Geraldo Assunção17 de novembro de 2014 09:53

    Bom dia Jose Geraldo,

    quem escreve é a Grazielle.Estou ao lado do meu pai, o Lua.

    Eles visualizou todas as fotos e acessou ao blog.Não conseguimos deixar um comentário, mas compartilhe com todos que o encontro em Morretes - Paraná está de vento em polpa.Meu pai já fez contato nos hotéis e pousadas. Ele está montando a programação e vai compartilhar e discutir com vocês em breve.

    Um grande abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os termos do e-mail recebido acima foi enviada pelo José Geraldo Assunção ao Editor do Blog. José Geraldo deixou à nossa decisão se publicava ou não. Achamos importante levar ao conhecimento de todos, pois assim se encerram as especulações sobre o local do próximo Encontro, e a gente mantém o critério de seguir, como sempre fizemos, a decisão da Assembléia Geral dos Encontristas. Quem quiser, portanto, ir se programando, pode começar a partir de hoje. Em breve o Lua nos enviará a programação, então, poderemos já ir comprando passagens e fazendo as reservas, Mas o melhor mesmo é saber que o VII Encontro está confirmado para Morretes, Paraná.

      Excluir
  5. Muito bom Lulu, O Caieira ! Precisávamos desta manifestação do Lua que, chegou. Estaremos em Morretes, firme e forte.Seria ótimo se a Grazielle fosse mantendo contato. É uma forma de manter o pessoal ligado. Abração

    ResponderExcluir